Avaliacao para FIP’s

Avaliacao para FIP’s

No post de hoje abordaremos  as soluções que a Global já está praticando no mercado para realizar o Valuation para as FIP’s considerando o grande volume de investimentos que estas FIP’s estão realizando no Brasil e a perspectiva de aumento desde capital para investir em empresas.

O primeiro passo é definir o que é uma FIP?

Segundo o site do BTG Pactual FIP é um Fundo de Investimento e Participações, também conhecido como Private Equitiy e existem diversos tipos de FIP’s, seguem abaixo:

Existem diversos tipos de FIP’s: FIP – Empresas Emergentes, FIP – Capital Semente, FIP – Infraestrutura (FIP-IE) e FIP – Multiestratégia. Cada um com diferentes regras de composição e negociação. Existem Fundos de Investimento em Participações que possuem a estrutura semelhante a um Fundo de Investimento tradicional, que contam com uma gestão que seleciona os ativos a serem investidos. Há também FIPs que se assemelham aos Fundos Imobiliários (FIIs), que são negociados em Bolsa (liquidez D+2) e possuem rendimentos isentos de Imposto de Renda.

A oscilação da moeda norte-americana afeta diversos setores da economia de formas distintas, mas de forma geram, afeta o “Valuation” das empresas. O impacto da alta do dólar na economia brasileira é assunto recorrente com a cotação da moeda americana chegando a R$5,60 (na data da edição deste Blog) chegando próximo ao recorde. Essa questão cambial viabiliza a aquisição de empresas por parte das FIP’s e é neste quesito que a Global Consultoria pode contribuir, com o Valuation destas empresas.

A alta do dólar em relação à moeda brasileira pode afetar desde as coisas mais simples, como o preço nos supermercados até a cotação das empresas, que no mercado de avaliação é denominado “Valuation”.

Avaliação de Econômica

A Global consultoria atua fortemente neste segmento fornecendo serviços de Valuation, ou seja, avaliação de empresas para a compra ou incorporação. Atende os requisitos do CPC-15 e demais orientações fiscais e legais do Brasil.

Serviço de Valuation para as FIP’s realizado pela Global

A avaliação econômica consiste em valorar a empresa partir de sua possibilidade de geração de renda futura, na prática a analise considera o negócio segundo o valor acionário, patrimonial e o fluxo de caixa descontado.

A Global desenvolve o trabalho de Valuation através da análise da capacidade de remuneração do negócio aos seus acionistas á longo prazo, resultando no valor econômico da empresa.

O mercado de câmbio no Brasil, funciona sobre o regime de câmbio flutuante, ou seja não há intervenção alguma nesse mercado. Esse regime faz com que a cotação do dólar varie livremente apenas sob a lei de oferta e demanda entre a moeda americana e a brasileira.

Vários fatores podem influenciar o aumento do dólar. Há fatores mais comuns, como por exemplo, gastos de turistas brasileiros no exterior. Visto que, para haver esses gastos, os turistas brasileiros compraram dólar e venderam reais.

Mas outros fatores de caráter mais estrutural também influenciam na desvalorização do real, como saldo negativo da balança comercial. Esse resultado ocorre quando há mais importações do que exportações. Ou seja, mais moeda estrangeira saiu do país do que entrou.

O Valuation realizado pela Global Consultoria reúne um conjunto informações envolvendo inclusive a análise dos bens tangíveis como os intangíveis, os quais são componentes da identificação do “valor econômico” da empresa.

Metodologia

A metodologia apresenta de forma clara e coesa as variáveis-chaves para formação do valor de avaliação, e simula diferentes cenários considerando as premissas macroeconômicas, estratégicas, operacionais e financeiras da empresa avaliada.

Vários fatores influenciam nas cotações das empresas brasileiras seja na Bolsa de Valores ou até mesmo as empresas de capital fechado (LTDA).

O primeiro fator é o enfraquecimento da economia brasileira, o que faz a moeda se valorizar e as empresas ficam mais acessíveis em U$.

Uma crise financeira como a atual também afeta a oscilação do seu valor, porque impacta investidores. Eles tendem a converter ativos em dólares, retirando o dinheiro do país para aplicá-lo em ambientes mais estáveis o que reduz a demanda por investidores e por consequência, o valor das empresas, ficando mais acessíveis.

Importante ressaltar a situação da economia dos EUA, grande investidor em empresas do Brasil; se o país (EUA) aumenta a taxa de juros, os investidores passam a investir em seu mercado, retirando dólares de outras nações, como o Brasil. Essa diminuição de dólar leva à valorização perante o real, já que sua oferta cai.

O mesmo fluxo ocorre ao contrário, quanto menor a taxa de juros nos EUA maior é a migração de capital para outros países como o Brasil, para investir em mercados baratos e mais rentáveis (mesmo que haja um risco maior).

Fale conosco e saiba mais. Peça um Orçamento de Valuation para a Global

O serviço se aplica a diversos segmentos, tais como, FIP’s (Fundos de Investimentos e Participações) Indústrias, Serviços, ramos agrícola e empresas de alta tecnologia (startups) que possuem baixos investimentos em ativo fixo (maquinas, equipamentos, móveis e prédios) não representam o real potencial de gerar recursos e lucros.

Fale conosco pelo 0800.0095555 ou (51) 98599.4248 ou (51) 3212.4555.

 

 

 

Consultoria Tributária – Novos Serviços da Global Consult

Consultoria Tributária – Novos Serviços da Global Consult

Como a Global Consult pode contribuir na sua área fiscal?

Neste post abordaremos os novos serviços oferecidos pela Global Consult voltados para a Área Fiscal. E a forma como nossos especialistas tributários podem contribuir para o correto aproveitamento de créditos e aplicação da Legislação vigente.

Inicialmente atuaremos em duas frentes: Levantamento de créditos tributários que não tenham sido aproveitados nas apurações fiscais das empresa. E também, o serviço de “Consultoria Tributária” com a característica de acompanhamento mensal das atividades fiscais dos clientes.

A seguir, abordaremos com mais detalhes as dificuldades das empresas e como a Global Consult pode contribuir com os serviços na área fiscal.

Dificuldades das empresas na área fiscal

Um dos grandes desafios que as empresas brasileiras enfrentam é conseguir cumprir com todas as obrigações fiscais acessórias que a legislação impõe. Além de pagamento de tributos, o governo obriga que as empresas apresentem periodicamente muitas declarações; o que exige mão de obra qualificada nesta matéria. Neste ponto a Global Consult pode contribuir com seus clientes, ofertando especialistas com o conhecimento técnico qualificado na área fiscal.

Em matéria veiculada no Jornal do Comércio, essa dificuldade fica evidenciada na pesquisa realizada por um instituto com centenas de empresários, destacamos abaixo alguns tópicos desta reportagem, cujo crédito é do Jornal do Comércio:

Estudo mostra que a maioria dos empresários gostaria de poder dedicar mais tempo à análise de dados e à tomada de decisões

A gestão dos impostos indiretos é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelas empresas brasileiras. A alta complexidade tributária, as diferentes legislações para sua aplicação nos estados e municípios e a necessidade de envolvimento de diversos setores na tarefa de responder às exigências do Fisco são algumas das razões pelas quais 89% das empresas brasileiras admitam ter grande dificuldade em manter-se em conformidade.

Dos entrevistados, 53,85% apontam que a principal dificuldade da sua empresa ao realizar a gestão de impostos indiretos está em manter-se em compliance (conformidade, em inglês) e evitar possíveis penalidades e juros. Outros 51,28% afirmam que a dependência do departamento de TI (Tecnologia da Informação) para atualizar a política fiscal torna os processos mais lentos e inseguros. Em terceiro lugar está a demora nos processos de transação manual, com 38,46% das respostas.

Mesmo que 89,74% dos profissionais afirmem que a empresa onde trabalha já tem implantado o ERP (Planejamento de Recurso Corporativo, em inglês), sistema de informação que integra todos os dados e processos de uma organização, muitas atualizações são feitas manualmente, gerando um gasto de tempo desnecessário. Em cerca de 30% das empresas, as equipes ou profissionais contábeis gastam de 20% a 40% do seu tempo com a atualização de políticas fiscais. Outros 25,6% destes profissionais afirmam que de 40% a 60% do tempo de sua equipe é dedicado a essa atualização.

Como a Global Consult pode contribuir com a área fiscal?

Através dos serviços de “Levantamento de Créditos Tributários” e “Consultoria Tributária”.

Levantamento de créditos tributários – Principal objetivo – Redução dos tributos correntes através de saldos credores de tributos e/ou compensação de tributos recolhidos indevidamente em decorrência da utilização dos créditos tributários que serão identificados na realização dos nossos trabalhos.

Consultoria Tributária – Suporte para correta aplicação de Legislação Tributária com característica de acompanhamento das atividades da empresa. Atuação por demanda, esclarecendo eventuais dúvidas e orientando corretamente os clientes.

Levantamento de Créditos Tributários – Como a Global Consult executa esse serviço?

A Global Consult executa o serviço de levantamento de créditos tributários através da revisão de procedimentos tributários adotados por seus clientes no período de 5 anos, tendo por objetivo principal a identificação e quantificação de ativos (créditos) tributários que não tenham sido considerados nas referidas apurações tributárias.

Os procedimentos serão aplicados a todos estabelecimentos fiscais dos clientes, sendo que os procedimentos de revisão serão aplicados sobre a totalidade das operações realizadas.

A revisão de oportunidades tributárias é efetuada na esfera administrativa, sem qualquer aplicação de procedimentos jurídicos, incluindo a posterior quantificação dos valores e a assessoria na compensação dos tributos. Ao término de nossa revisão, a empresa terá como produto final um completo memorando contendo os créditos e suas respectivas fundamentações legais ou embasamentos jurisprudenciais (se for o caso) e, por fim, a forma de apropriação ou compensação, quando aplicável.

Consultoria Tributária como é realizado esse serviço?

Consultoria tributária – Os serviços são prestados através da contratação de um “pacote de horas” mensal, que varia de acordo com a demanda de cada cliente; normalmente a quantidade de horas técnicas de um consultor tributário sênior varia conforme a necessidade de cada cliente. Este consultor tributário sênior atuará como suporte e avaliação de cenários fiscais/tributários em conjunto com a equipe técnica da empresa, em consultas telefônicas, por e-mail ou reuniões remotas. Também há a possibilidade de demandas extras ou necessidade de horas adicionais de consultoria ou em projetos especiais serão antecipadamente avaliados e negociados junto à empresa.

Vantagens e diferenciais da atuação da Global Consult na área fiscal

  • Trabalho desenvolvido por analistas e especialistas com experiência na área tributária e contábil;
  • Verificação e checagem de documentos e procedimentos contábeis utilizados na apuração dos tributos;
  • Levantamento de créditos fiscais e orientação na sua compensação;
  • Apresentação de relatórios completos, com diagnósticos e soluções de acordo com a legislação;
  • Avaliação de riscos como ferramenta da tomada de decisão para a apropriação dos créditos apontados;
  • Custo zero para o contratante, quando não identificarmos nenhuma oportunidade e honorários somente se e quando existir benefício econômico.

Se a sua empresa se enquadra entre as que foram citadas na reportagem do Jornal do Comércio e precisa de apoio qualificado na área fiscal, ou se tem interesse por mais informações sobre como a Global Consult pode contribuir para os Controles Fiscais, entre em contato pelo 0800.009.5555 ou pelo FORMULÁRIO de contato.

 

 

 

 

Análise de Indicadores Internos e Externos  CPC 01 – Teste de Impairment

Análise de Indicadores Internos e Externos CPC 01 – Teste de Impairment

O teste de Impairment é obrigatório?

A dúvida é recorrente nas empresas, mesmo após 10 anos da edição do CPC-01 muitos profissionais da área ainda não sabem se o teste de impairment é ou não obrigatório.

Antes de abordamos a questão objetivo deste post, ou seja, esclarecer se o teste de Impairment é obrigatório ou não, vamos apresentar os destaques do CPC-01 específico sobre esse tema

Destaques do CPC-01 específico sobre o tema

O CPC-01 “não exige que uma entidade faça uma estimativa formal do valor recuperável” (exceto para o ágio), porém há indicadores de que a perda possa ter ocorrido e este é o objetivo deste serviço de Análise de indicadores.

Compreende na Análise de Indicadores Internos e Externos da empresa, conforme orientação específica do CPC-01 para identificar a necessidade de realização (ou não) do Teste de Impairment,

A edição de Lei nº 11.638/07 foi o primeiro passo para a convergência das normas brasileiras ao padrão adotado internacionalmente. A partir dessa Lei, o Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC aprovou diversos pronunciamentos técnicos com o objetivo de implantar o padrão IFRS no Brasil. O Teste de Impairment foi aprovado e definido pelo CPC através do Pronunciamento Técnico nº um (CPC 01) em correlação às Normas Internacionais de Contabilidade – IAS 36 (IASB).

Em que consiste o teste de impairment

O Teste de Impairment consiste na adoção de determinados procedimentos que visam assegurar que os ativos de longa duração não estejam registrados contabilmente por um valor superior àquele passível de ser recuperado por uso ou por venda.

Visando facilitar o entendimento do objetivo deste Blog, segue abaixo apenas os destaques do CPC-01 que tratam dos Indicadores Internos e Externos:

  • COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 01
  • REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS

Capítulo 1

O objetivo deste Pronunciamento Técnico é definir procedimentos visando a assegurar que os ativos não estejam registrados contabilmente por um valor superior àquele possível de ser recuperado por uso ou por venda. Caso existam evidências claras de que ativos estão avaliados por valor não recuperável no futuro, a entidade deverá imediatamente reconhecer a desvalorização por meio da constituição de provisão para perdas. O Pronunciamento também define quando a entidade deve reverter referidas perdas e quais divulgações são necessárias.

Capítulo 7

Um ativo está desvalorizado quando seu valor contábil excede seu valor recuperável.

Os itens 10 a 12 descrevem algumas indicações de que essa perda possa ter ocorrido; se qualquer dessas situações estiver presente, uma entidade deve fazer uma estimativa formal do valor recuperável. Se não houver indicação de uma possível desvalorização, exceto conforme descrito no item 9 (intangível deve ser obrigatoriamente testado anualmente, os demais ativos, apenas se houver alguma indicação de perda – interna ou externa), este Pronunciamento não exige que uma entidade faça uma estimativa formal do valor recuperável.

Capítulo 10

Ao avaliar se há alguma indicação de que um ativo possa ter sofrido desvalorização, uma entidade deve considerar, no mínimo, as seguintes indicações:

Fontes externas de informação

(a) durante o período, o valor de mercado de um ativo diminuiu sensivelmente, mais do que seria de se esperar como resultado da passagem do tempo ou do uso normal;

(b) mudanças significativas com efeito adverso sobre a entidade ocorreram durante o período, ou ocorrerão em futuro próximo, no ambiente tecnológico, de mercado, econômico ou legal, no qual a entidade opera ou no mercado para o qual o ativo é utilizado;

(c) as taxas de juros de mercado ou outras taxas de mercado de retorno sobre investimentos aumentaram durante o período, e esses aumentos provavelmente afetarão a taxa de desconto usada no cálculo do valor em uso de um ativo em uso e diminuirão significativamente o valor recuperável do ativo;

(d) o valor contábil do patrimônio líquido da entidade é maior do que o valor de suas ações no mercado;

Fontes internas de informação

(e) evidência disponível de obsolescência ou de dano físico de um ativo;

(f) mudanças significativas, com efeito adverso sobre a entidade, ocorreram durante o período, ou devem ocorrer em futuro próximo, na medida ou maneira em que um ativo é ou será usado. Essas mudanças incluem o ativo que se torna inativo, planos para descontinuidade ou reestruturação da operação à qual um ativo pertence, planos para baixa de um ativo antes da data anteriormente esperada e reavaliação da vida útil de um ativo como finita ao invés de indefinida; e

(g) evidência disponível, proveniente de relatório interno, que indique que o desempenho econômico de um ativo é ou será pior que o esperado.

Capítulo 11

A relação constante do item 10 não é exaustiva. Uma entidade pode identificar outras

indicações ou fontes de que um ativo pode ter se desvalorizado, exigindo que a entidade determine o seu valor recuperável.

Capítulo 12

Evidência proveniente de relatório interno que indique que um ativo pode ter se desvalorizado inclui a existência de:

(a) fluxos de caixa para adquirir o ativo ou necessidades de caixa subsequentes para operar ou mantê-lo, que sejam significativamente mais elevadas do que originalmente orçadas;

(b) fluxos de caixa líquidos reais ou lucros ou prejuízos operacionais gerados pelo

ativo, que são significativamente piores do que aqueles orçados;

(c) queda significativa nos fluxos de caixa líquidos orçados ou no lucro operacional ou um aumento significativo no prejuízo orçado gerado pelo ativo; ou

(d) prejuízos operacionais ou saídas de caixa líquidas em relação ao ativo, quando os números do período atual são agregados com números orçados para o futuro.

Procedimentos importantes

A Global Consultoria aplica um questionário abordando as possíveis situações que caracterizam o indicativo de perda de valor de um Ativo, conforme orientação do CPC-01. O questionário é respondido pelos gestores da empresa analisada e embasa nossa conclusão sobre a necessidade (ou não) de realização do teste de Impairment.

Conclusão

Como vimos nos destaques do CPC-01 apresentados acima, a resposta para a questão é: Não, incialmente o teste de Impairment não é obrigatório, mas as empresas devem verificar se há sinais de perda de valor recuperável em seus ativos. Se houver a indicação de perda, aí sim, a realização do teste de Impairment passa a ser obrigatória.

Se ainda houverem dúvidas sobre esse tema ou se sua empresa precisa do serviço de Análise de indicadores de necessidade de teste de Impairment, estamos a disposição para maiores informações. Contate-nos através do 0800.009.5555 (51) 98599.4248 ou pelo nosso FORMULÁRIO DE CONTATO

 

 

Teste de Impairment : Afinal,  é obrigatório ou não?

Teste de Impairment : Afinal, é obrigatório ou não?

Você tem dúvidas sobre a obrigatoriedade do Teste de Impairment?

No post de hoje vamos falar sobre  a Análise de Indicadores Internos para a Realização (ou não) do Teste de Impairment e falar sobre a “obrigatoriedade ou não da realização do Teste de Imparidade”, abordando os serviços executados pela Global Consultoria que contribuem sua execução.

A primeira edição do CPC-01 data do início de 2008, ou seja, há mais de 12 anos, mas até hoje ainda persistem algumas dúvidas nos gestores das empresas sobre a sua obrigatoriedade.

OBS: Importante salientar que este Blog abordará exclusivamente o Ativo Tangível. A respeito do Teste de Impairment do Ativo Intangível abordaremos o tema do próximo post.

E recorrente a questão: O teste de Impairment é obrigatório? Tenho que realiza-lo anualmente? Há alguma outra alternativa?

Ao logo de nossa experiência no mercado,  percebemos que muitos de nossos clientes apresentam  as mesmas dúvidas recorrentes, por isso o nosso objetivo de hoje é divulgar a resposta definitiva para ajudá-los a compreender melhor essa questão.

O primeiro ponto que temos que salientar é que a resposta é NÃO.

Não é obrigatória a realização direta do Teste de Imparidade. No entanto que é obrigatório SIM é a ANÁLISE DE INDICADORES INTERNOS E EXTERNOS para identificação da necessidade de realização do Impairment Teste.

O CPC-01 nos tópicos de 10 a 12 lista detalhadamente quais são os indicadores internos e Externos que se existirem na empresa apontarão para a obrigatoriedade do Teste de Impairment.

Se a resposta aos indicadores não indicar a necessidade de realização de Teste de Impairment, esse não será obrigatório, porém, se algum dos indicadores apontar para essa perda, aí sim, o Teste de Impairment deverá ser realizado na empresa.

Para melhor entendimento, considere o seguinte exemplo:

Durante o exercício houve parada de produção ou retirada de linha de algum produto ou serviço?

Há evidência de obsolescência físico ou tecnológica de algum ativo ou de alguma l