Inventário Patrimonial em redes de Supermercados

Inventário Patrimonial em redes de Supermercados

A importância do inventário patrimonial nas redes de supermercados

Para a maioria das Redes de Supermercados, uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos gestores é manter com absoluta precisão o controle dos seus processos internos, principalmente em relação à área contábil e do Imobilizado.

Em muitos casos, uma grande dificuldade está em criar processos para manter os registros contábeis de seus bens patrimoniais devidamente organizados e livres de erros.

Embora se perca em meio a outras prioridades no dia a dia das equipes contábeis, o controle dos bens patrimoniais é um assunto muito importante, uma vez que as discrepâncias entre a localização física dos seus ativos e seus respectivos registros contábeis, podem prejudicar a visão exata do patrimônio que o supermercado realmente possui.

Informações incorretas podem prejudicar o balanço

E as informações incorretas podem prejudicar o balanço, interferir nas suas projeções de investimentos e de depreciação. Além de impactar na precisão do planejamento financeiro.

Por exemplo, imagine que na sua rede de supermercados tenha um ativo fixo que por falha/danificação precise de uma reposição imediata, mas que por falta de acompanhamento essa compra não estava prevista no seu planejamento. Isso pode gerar um investimento não previsto e prejudicar o seu fluxo de caixa.

Por conta disso, entre outros fatores, a reorganização dos bens patrimoniais é algo que deve estar no “radar” dos gestores, que devem se preocupar em realizar um inventário físico completo dos seus bens imobilizados periodicamente.

Inventário indo além das exigências das auditorias

Grande parte das Redes de Supermercados que realizam o inventário patrimonial, o fazem por exigências das auditorias. No entanto, o inventário de bens patrimoniais vai muito além de um mero laudo para fins de balanço ou atendimento à legislação.

Os bens imobilizados são o patrimônio da empresa e devem ser preservados, organizados e devidamente controlados, por isso, o inventário físico dos ativos não deve ser encarado como um custo ou uma atividade obrigatória.

Pelo contrário, deve entrar na rotina anual das empresas como um ponto importante para ajudar a empresa a manter a sua saúde financeira. E ter tanta prioridade quanto o DRE ou o demonstrativo de Fluxo de caixa.

O inventário patrimonial para o supermercado não é uma atividade fácil de ser realizada. Trata-se de uma atividade complexa e que demanda tempo, planejamento e equipes especializadas para o sucesso no resultado. Dessa forma, é recomendável contratar empresas especialistas para sua realização.

Como ter um laudo técnico preciso

A terceirização do inventário libera a sua equipe para cuidar do seu negócio e garante um laudo técnico preciso.

A Global Consultoria é uma empresa especialista na realização do inventário físico de todo o ativo imobilizado e conta com software próprio, equipe altamente capacitada e processos que garante um resultado preciso para a sua empresa.

Com metodologia própria a Global realiza o inventário em Redes de Supermercados seguindo algumas etapas:

Características do projeto de inventário em redes de supermercados

  • Planejamento do projeto e detalhamento de cada etapa de trabalho;
  • Vistoria Prévia de campo e realização do “projeto piloto” com a escolha de uma loja que servirá de modelo para as descrições e critérios para serem replicados as demais lojas da rede;
  • Elaboração do Cronograma detalhada e com acompanhamento diário da evolução do projeto;
  • Execução do inventário físico com detalhamento e identificação individual de cada item do Imobilizado;
  • Revisão de qualidade e auditoria dos locais inventariados, realizada pelos gestores da Global e com o acompanhamento do cliente.
  • Finalização do projeto com a entrega dos arquivos, Laudos e relatórios de itens inventariados, conciliados e sobras para cada uma das lojas da rede que foram inventariadas e um consolidado.

Resultado esperado

O resultado é uma relação de todos os bens existentes nas lojas, devidamente identificados, com toda a descrição padronizada, com os respectivos locais e centro de custos atualizados pelo inventário imobilizado.

Agora que você já sabe a história e a importância do inventário patrimonial para a sua empresa e como realiza-lo de forma fácil e segura, está na hora de começar! Entre em contato com nossa equipe comercial através do fone 0800.0095555 ou acesse o FORMULÁRIO de contato e peça uma visita de nossos consultores.

Por Gilberto Oliveira – Diretor Comercial da Global Consult

 

Controle de Imobilizado das entidades do Sistema S em tempos de pandemia

Controle de Imobilizado das entidades do Sistema S em tempos de pandemia

Controle de imobilizado no Sistema S: Como realizar o inventário de bens durante a pandemia

O objetivo deste post é apresentar as soluções que praticamos no mercado para realizar o inventário físico nas empresas do chamado “SISTEMA S”, em tempos de pandemia de COVID-19 e isolamento social.

Antes de entrarmos na questão do Inventário de ativos para as empresas do Sistema S, precisamos listar quais são essas entidades e suas finalidades.

O que é o sistema S

São 141 entidades do Sistema S (Sistemas Senai, Senac, Sesi, Sesc e Senar), atuam na educação profissionalizante, saúde, lazer e cultura. Atuação de forma complementar a do Estado.

As entidades que compõe o “Sistema S” são classificadas como entes paraestatais não integrantes da Administração Pública, mas que prestam serviços considerados de interesse público.

São entidade de direito privado, que administram recursos públicos, estando, assim, sob a jurisdição do Tribunal de Contas da União. Estas entidades movimentam grandes valores de recursos em suas atividades, para se ter um exemplo da materialidade destes valores, foram arrecadados em torno de R$ 17 bilhões em 2015.

Como surgiu a necessidade por controles de Imobilizado, inventário e determinação das vidas úteis para as Empresas do Sistema S?

Segundo informações constantes no site do TCU:  O Tribunal de Contas da União (TCU) avaliou o nível de transparência sob os aspectos de divulgação de dados sobre receitas e despesas, demonstrações contábeis, licitações, contratos, transferências de recursos e atendimento ao público em geral.

A maioria das entidades do Sistema S publica seus orçamentos nos respectivos sítios eletrônicos na internet. Os orçamentos aprovados e os executados são publicados trimestralmente.

O tribunal recomendou a contratação de auditores independentes e a implantação de unidades de auditoria interna, uma vez que nem todas as entidades contam com essas unidades e nem passam por auditoria externa e, também deu um prazo de 1 ano para as empresas do Sistema S adequem seus sistemas contábeis de forma que suas demonstrações sejam elaboradas, no que couber, com base na contabilidade aplicada ao setor público, seguindo os moldes exigidos pela Norma Brasileira de Contabilidade NBC T 16.6.

Como atender as necessidades de controle de Imobilizado das empresas do Sistema S?

Para que as empresas do Sistema S estejam regularizadas no que se refere ao Ativo Imobilizado é necessário atender integralmente a Legislação Vigente para estas Entidades, no caso do Ativo Imobilizado é NBC TSP-07 aprovada pelo Conselho Federal de Contabilidade e está de acordo com a IPSAS 17 – Property, Plant, and Equipment, editada pelo International Public Sector Accounting Standards Board da International Federation of Accountants (IPSASB/Ifac).

O objetivo do NBC TSP-07 é estabelecer o tratamento contábil para ativos imobilizados, de forma que os usuários das demonstrações contábeis possam discernir a informação sobre o investimento da entidade em seus ativos imobilizados, bem como suas variações.

As principais questões a serem consideradas na contabilização do ativo imobilizado são (a) o reconhecimento dos ativos, (b) a determinação dos seus valores contábeis e (c) os valores de depreciação e de perdas por redução ao valor recuperável a serem reconhecidos em relação a eles.

Inventário de Imobilizado para empresas do “sistema s” durante o período de pandemia

Devido a pandemia de Covid-19 e a necessidade de cuidados especiais no distanciamento social e profissional, nós da Global Consultoria adotamos as seguintes práticas para atender a demanda dos clientes mesmo nestes tempos de pandemia mundial:

  • Inventário físico realizado em horários especiais após o horário comercial (após 18:00hs).
  • Inventário físico durante os finais de semana, período no qual as empresas estão com poucos colaboradores;
  • Equipe testada semanalmente para o corona vírus;
  • Vistoria de campo com todos os EPI’s habituais mais os equipamentos para prevenir a transmissão do corona vírus.

A Global Consultoria é uma empresa especialista na realização do inventário físico de todo o ativo imobilizado e conta com software próprio, equipe altamente capacitada e processos que garantem um resultado preciso para a sua empresa.

Como a Global Consult pode contribuir para a aplicação da NBC TSP-07 para as Entidades do Sistema S?

A Global Consult executa o serviço de Inventário Patrimonial para as Entidades do Sistema S utilizando as melhores práticas, software e equipamentos de última geração, além de equipe especializada e treinada para a atividade.

Esta importante etapa do controle patrimonial atende integralmente a NBC TSP-07 e resultará em uma base de dados do Ativo Imobilizada correta e organizada, de forma a assegurar as decisões gerenciais com base em informações corretas e atualizadas.

O Inventário dos bens do Ativo Imobilizado é realizado com tecnologia própria desenvolvida pela Global e utiliza coletores de dados, Tablet’s ou Celulares, dependendo das características da entidade quanto ao ambiente de trabalho.

A Global Consult utiliza o equipamento e o software adequado para cada necessidade específica da uma das entidades do Sistema S.

O Inventário de Ativos, além de verificar a existência física dos bem, coleta diversas informações sobre o os bens do Imobilizado, destacam-se:

  • Descrição completa e padronizada
  • Situação do item (em uso ou fora de uso)
  • Estado físico do bem
  • Número de série
  • Informações junto a placa do fabricante.

Além de informações técnicas do item o inventário também atualiza informações Gerenciais, como:

  • Local;
  • Centro de Custos;
  • Responsável

Todos os itens inventariados recebem um número de identificação (através de placa metálica, etiqueta de identificação, RFID); caso os bens a serem inventariados já possuam identificação de patrimônio (mesmo que parcial), a Global Consult utiliza esta informação e fixa novas etiquetas de identificação nos equipamentos que estiverem sem a chapa.

Etapas do Inventário Físico:

  • Planejamento do projeto;
  • Vistoria Prévia de campo;
  • Elaboração do Cronograma;
  • Execução;
  • Revisão de qualidade e finalização.

O resultado do Inventário Físico é uma relação de todos os bens existentes na Entidade do Sistema S, identificados, com descrição padronizada, com os respectivos locais e centro de custos atualizados pelo Inventário do Imobilizado.

Conclusão

A transparência em todas as atividades é um anseio da sociedade brasileira, bem como uma exigência Legal. Há uma série de normas contábeis e entidades de fiscalização sobre todas as entidades, sejam elas de finalidade filantrópica, comercial, indústria, etc… A equipe da Global Consult está a disposição para contribuir com as entidades do Sistema S na adoção da NBC TSP-07 para o controle do Ativo Imobilizado, para maiores informações, contate-nos.  Acesse este link ou ligue 0800.009.5555

 

Inventário Patrimonial em tempos de pandemia de Covid-19

Inventário Patrimonial em tempos de pandemia de Covid-19

O objetivo deste post é apresentar as soluções que a Global Consultoria já está praticando no mercado para realizar O INVENTÁRIO FÍSICO EM TEMPOS DE PANDEMIA DE COVID-19 e isolamento social.

Processo e vantagens do inventário de imobilizado

Antes precisamos abordar o processo e as vantagens do INVENTÁRIO DE IMOBILIZADO. O inventário patrimonial é uma ferramenta de controle de um dos mais importantes Ativos da empresa. Trata-se de um processo que parece simples, mas se não for bem executado pode resultar em descontrole do Imobilizado e perdas na contabilidade.

Inventário Patrimonial: Por que devo fazer na minha empresa?

Para a maioria das empresas, uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos gestores é manter com absoluta precisão o controle dos seus processos internos, principalmente em relação à área contábil.

Em muitos casos, uma grande dificuldade está em criar processos para manter os registros contábeis de seus bens patrimoniais devidamente organizados e livres de erros e as informações incorretas podem prejudicar o balanço, interferir nas suas projeções de investimentos e de depreciação. Além de impactar na precisão do planejamento financeiro.

Grande parte das empresas que realizam o inventário patrimonial, o fazem por exigências das empresas de auditoria. No entanto, o inventário de bens patrimoniais vai muito além de um mero laudo para fins de balanço ou atendimento à legislação.

Os bens imobilizados são o patrimônio da empresa, e devem ser preservados, organizados e devidamente controlados, por isso, o inventário físico dos ativos não deve ser encarado como um custo ou uma atividade obrigatória.

Pelo contrário, deve entrar na rotina anual das empresas como um ponto importante para ajudar a empresa a manter a sua saúde financeira. E ter tanta prioridade quanto o DRE ou o demonstrativo de Fluxo de caixa.

INVENTÁRIO DE IMOBILIZADO DURANTE O PERÍODO DE PANDEMIA

A Global Consultoria é uma empresa especialista na realização do inventário físico de todo o ativo imobilizado e conta com software próprio, equipe altamente capacitada e processos que garante um resultado preciso para a sua empresa.

Devido a pandemia de Covid-19 e a necessidade de cuidados especiais no distanciamento social e profissional, a Global Consultoria adotou as seguintes práticas para atender a demanda dos clientes mesmo nestes tempos de pandemia mundial:

  • Inventário físico realizado em horários especiais após o horário comercial (após 18h).
  • Inventário físico durante os finais de semana, período no qual as empresas estão com poucos colaboradores;
  • Equipe testada semanalmente para o corona vírus;
  • Vistoria de campo com todos os EPI’s habituais mais os equipamentos para prevenir a transmissão do corona vírus.

Com metodologia própria A Global realiza o inventário seguindo algumas etapas:

  • Planejamento do projeto (pode ser virtual por Skype ou outro meio)
  • Elaboração do Cronograma
  • Execução
  • Revisão de qualidade
  • Finalização

O resultado é uma relação de todos os bens existentes na empresa, devidamente identificados, com toda a descrição padronizada, com os respectivos locais e centro de custos atualizados pelo inventário imobilizado.

Estas ações de prevenção já estão em prática em diversas empresa no Brasil. A Global visando atender a demanda dos clientes se adaptou rapidamente as novas exigências do mercado.

Para saber mais e agendar uma reunião sobre inventário patrimonial acesse o link CONTATO

A importância do Inventário Patrimonial em Cooperativas

A importância do Inventário Patrimonial em Cooperativas

Inventário patrimonial nas cooperativas: Entenda  sua importância e por que as cooperativas precisam realizá-lo.

As cooperativas, assim como as empresas, necessitam manter-se sempre organizadas, com processos de gestão e controles patrimoniais precisos para que possam ter um melhor aproveitamento dos seus recursos internos e, consequentemente, eliminar desperdícios ou perdas, evitando gastos desnecessários e ajudando na maior eficiência do negócio.

Para a área contábil de uma cooperativa, manter o controle dos seus bens patrimoniais é algo essencial. Nesse sentido, o inventário do patrimônio da cooperativa é uma das principais ferramentas de controle interno do seu imobilizado.

O processo de inventário patrimonial dentro de uma cooperativa pode até parecer ser algo simples, no entanto, requer amplo conhecimento e planejamento, pois se não for bem executado pode resultar em perdas na contabilidade, em função do descontrole dos ativos imobilizados.

A origem do Inventário Patrimonial

Antes de entrarmos no processo de inventário patrimonial propriamente dito, precisamos voltar às origens do Inventário para entender sua essência.

A origem da Contabilidade está ligada à necessidade de registros do comércio e foi na Itália que surgiu a expressão “Contabilitá” com o livro “La Contabilità Applicatta alle Amministrazioni Private e Pubbliche”, da autoria de Franscesco Villa, mas a obra mais relevante abordava o método das Partidas Dobradas, escrito por Frei Luca Pacioli, cujo título era “Tratactus de Computis et Scripturis” (Contabilidade por Partidas Dobradas), publicado em 1494, enfatizando que à teoria contábil do débito e do crédito. Este livro implicou a adoção de práticas que tornassem mais analítica a Contabilidade, dando origem ao livro da Contabilidade de Custos.

Importante ressaltar, que Pacioli, apesar de ser considerado o pai da Contabilidade, não foi o criador das Partidas Dobradas. O método já era utilizado na Itália, principalmente na Toscana, desde o Século XIV.

Mas e o inventário de Ativos, qual o primeiro registro?

O primeiro registro de inventário realizado é na Itália, era de se esperar que ocorresse neste País, devido as origens da contabilidade e também formalização dos processos contábeis na região.

Segundo historiadores, o primeiro Inventário nos moldes como é conhecido na contabilidade moderna, foi realizado pelos militares na Itália, cuja região exata não é possível afirmar.

Os militares registraram não apenas o arsenal (que seria o mais valioso e importante) mas também os demais equipamentos acessórios, como: Uniformes, armamentos menores, bússolas, binóculos entre outros bens que formavam seu “patrimônio”.

O método de controle não estava limitado a simples contagem, mas também foram dados os primeiros passos na identificação um-a-um dos equipamentos, através de registros como: Pintura do número do bem ou puncionamento (método de impressão no metal)

Como podemos ver, passados seis séculos, os processos de inventário não sofreram tanta alteração na essência, mas sim, nos processos, que veremos nos seguintes tópicos.

Inventário Patrimonial: Por que devo fazer na minha cooperativa?

Para a maioria das cooperativas, uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos gestores é manter com absoluta precisão o controle dos seus processos internos, principalmente em relação à área contábil.

Em muitos casos, uma grande dificuldade está em criar processos para manter os registros contábeis de seus bens patrimoniais devidamente organizados e livres de erros.

Embora se perca em meio a outras prioridades, no dia a dia das equipes contábeis, o controle dos bens patrimoniais é um assunto muito importante, uma vez que as discrepâncias entre a localização física dos seus ativos e seus respectivos registros contábeis, podem prejudicar a visão exata do patrimônio que a cooperativa realmente possui.

A importância do inventário patrimonial para o balanço da cooperativa

As informações incorretas podem prejudicar o balanço, interferir nas suas projeções de investimentos e de depreciação. Além de impactar na precisão do planejamento financeiro.

Por exemplo, imagine que na sua cooperativa tenha um ativo fixo que por quebra precise de uma reposição imediata, mas que por falta de acompanhamento essa compra não estava prevista no seu planejamento. Isso pode gerar um investimento não previsto e prejudicar o seu fluxo de caixa.

Por conta disso, entre outros fatores, a reorganização dos bens patrimoniais é algo que deve estar no “radar” dos gestores, que devem se preocupar em realizar um inventário físico completo dos seus bens imobilizados periodicamente.

Grande parte das cooperativas que realizam o inventário patrimonial, o fazem por exigências das auditorias. No entanto, o inventário de bens patrimoniais vai muito além de um mero laudo para fins de balanço ou atendimento à legislação.

Os bens imobilizados são o patrimônio da cooperativa, e devem ser preservados, organizados e devidamente controlados, por isso, o inventário físico dos ativos não deve ser encarado como um custo ou uma atividade obrigatória.

O inventário patrimonial deve entrar na rotina anual das cooperativas como um ponto importante para ajudar a organização a manter a sua saúde financeira. E ter tanta prioridade quanto o DRE ou o demonstrativo de Fluxo de caixa.

O inventário patrimonial deve ser executado por especialistas

O inventário patrimonial para a cooperativa não é uma atividade fácil de ser realizada. Trata-se de uma atividade complexa e que demanda tempo, planejamento e equipes especializadas para o sucesso no resultado. Dessa forma, é recomendável contratar empresas especialistas para sua realização.

A terceirização do inventário libera a sua equipe para cuidar do seu negócio e garante um laudo técnico preciso.

A Global Consultoria é uma empresa especialista na realização do inventário físico de todo o ativo imobilizado e conta com software próprio, equipe altamente capacitada e processos que garante um resultado preciso para a sua empresa.

Com metodologia própria, a Global realiza o inventário patrimonial seguindo algumas etapas:

  • Planejamento do projeto
  • Vistoria Prévia de campo
  • Elaboração do Cronograma
  • Execução
  • Revisão de qualidade
  • Finalização

O resultado é uma relação de todos os bens existentes na cooperativa, devidamente identificados, com toda a descrição padronizada, com os respectivos locais e centro de custos atualizados pelo inventário imobilizado.

Agora que você já sabe a história e a importância do inventário patrimonial para a sua cooperativa e como realiza-lo de forma fácil e segura, está na hora de começar! Entre em contato com nossa equipe e peça por uma visita de nossos consultores.

 

Inventário Patrimonial: novas tecnologias para o controle do Imobilizado

Inventário Patrimonial: novas tecnologias para o controle do Imobilizado

Aplicações de equipamentos como smartphones e outras tecnologias para o inventário físico

No post de hoje vamos abordar as possíveis aplicações de equipamentos e novas tecnologias que auxiliam na realização do inventário de bens patrimoniais. E como um simples smartphone pode facilitar e agilizar o inventário patrimonial da sua empresa.

Boa leitura!

No contexto deste tema, apresentamos os benefícios e vantagens técnicas que são inerentes às atividades de inventário de Imobilizado, com a utilização de dispositivos móveis (Tablet’s ou celulares), tendo como aporte a usabilidade dos QR codes, plaquetas com códigos de Barras ou etiquetas de RFID.

São inúmeras as vantagens para a coleta de dados com essas tecnologias, destacando-se a linguagem QR code, informações fotográficas, coleta de código de barras e RFID possíveis com o uso dos
dispositivos móveis e o principal recurso, a instantaneidade de envio de informações para os servidores da Global que resultam em maior agilidade e precisão na entrega do inventário patrimonial da sua empresa.

Vantagens do envio instantâneo de informações

  • Inventário físico acompanhado diariamente
  • Acompanhamento da produtividade de campo
  • Reports diários de informações atualizadas
  • Início da avaliação de itens antes mesmo da conclusão do inventário
  • Início do estudo de determinação das vidas úteis dos bens
  • Início da conciliação simultânea do inventário do imobilizado

O conjunto de vantagens acima demonstraram o grande diferencial da Global no processo de Inventário físico de bens do ativo imobilizado, utilizando os dispositivos móveis e o nosso aplicativo Global Consult.

O processo de Inventário físico tem sofrido grandes mudanças impostas pelo uso de novas tecnologias, e a Global Consultoria está sempre atualizada com o que há de mais moderno no mercado. Seja pelo uso de novas tecnologias para aplicativos (como o Android) ou de hardware (como os tablet’s ou Smartphones)

O QR Code já está em evolução?

Os QR Codes que parecem novidade quanto à aplicação no controle do Imobilizado ou controle de manutenção, já estão em evolução. Além do seu modelo clássico, destacam-se outros modelos mais recentes:

  1. O Micro QR code, que tem como característica possuir apenas um padrão de detecção de posição, sendo muito utilizado em impressão em áreas menores do que o QR code clássico.
  2. O iQR code que, além de ter o tamanho reduzido pode ter sua forma modificada, consegue armazenar um número maior de dados.
  3. O SQRC que é um tipo de código equipado com restrição de leitura, sendo muito utilizado no armazenamento de informações privadas e gerenciamento de informações internas de empresas.
  4. Destaque para o Frame QR, que apresenta no centro de seu código uma área de tela, permitindo que figuras, letras e gráficos sejam dispostos.

Inventário com o uso de novas tecnologias

Na prática é a identificação detalhada de cada bem do ativo imobilizado da empresa. Mas essa identificação detalhada deve observar alguns critérios, segue abaixo:

Para o registro correto e a devida identificação dos bens durante o inventário da empresa, os seguintes campos devem ser observados e anotados no levantamento do imobilizado:

  • Descrição completa da “espécie” do bem, atenção pois não pode constar (por exemplo) simplesmente a “espécie” do bem, veja a diferença:
  • Descrição do bem (incompleta) no inventário: Mesa de Reuniões.
  • Descrição do bem (completa) no inventário: Mesa de Reuniões em madeira, formato retangular, para 8 pessoas, revestimento formica.

Outro exemplo:

  • Descrição do bem (incompleta) no inventário: Monitor de Vídeo.
  • Descrição do bem (completa) no inventário: Monitor de vídeo, marca Dell, Modelo Dell XYX, tela de 21 polegadas, número de série 123456.

Além da descrição completa com espécie + Marca + modelo + capacidade + número de série é fundamental constar informações sobre a localização exata do bem com Local, Planta, Unidade, Filial, centro de custos, entre outras informações adicionais, como o TAG, Fabricante, etc.

Esclarecendo as principais dúvidas sobre o uso das novas tecnologias no controle do imobilizado

Sabemos que quando falamos de novas tecnologias que envolvem uma mudança nas práticas atuais, é comum levantarem-se muitas dúvidas, como por exemplo:

  • Até que ponto as novas tecnologia podem facilitar o controle de bens da minha empresa?
  • Até onde estes recursos tecnológicos podem facilitar o meu processo de Inventário Físico? 
  • E quanto às Avaliações de ativo Imobilizado, Avaliações de Máquinas e equipamentos, podem ser mais qualificadas com essas informações obtidas por meio dos recursos que acabamos de apresentar?
  • Quanto aos prazos dos projetos de regularização do Imobilizado (Inventário físico e conciliação) até que ponto podem ser reduzidos se utilizarmos estes recursos?

Pela nossa ampla experiência prática, podemos observar muitos benefícios, entre eles, destacamos o enorme ganho de tempo e maior precisão.

Destacamos que podemos observar que uma redução nos prazos, chegando a diminuir em até 50%, dependendo do escopo do projeto de regularização do Ativo Imobilizado.

Você precisa de ajuda para realizar o inventário físico e conciliação?

A Global Consultoria é uma empresa especialista na realização do inventário físico de todo o ativo imobilizado e conta com software próprio, equipe altamente capacitada e processos que garante um resultado preciso para a sua empresa.

Com metodologia própria, nós da Global Consultoria, realizamos o inventário seguindo algumas etapas:

  • Planejamento do projeto
  • Vistoria Prévia de campo
  • Elaboração do Cronograma
  • Execução
  • Revisão de qualidade
  • Finalização

O resultado é uma relação de todos os bens existentes na empresa, devidamente identificados, com toda a descrição padronizada, com os respectivos locais e centro de custos atualizados pelo inventário imobilizado.

Quer sabem mais sobre inventário Físico realizado pela Global? Acesse este link

Além do inventário físico e conciliação existe outra demanda na sua área de patrimônio?

Se a sua empresa precisa realizar qualquer uma das demandas listadas abaixo, conte com a nossa equipe para ajudá-lo:

Para estes ou quaisquer outros serviços voltados ao controle de imobilizado, entre em contato conosco e agende uma visita e demonstração das nossas tecnologias para esses serviços, pelo FORMULÁRIO DE CONTATO ligue para 0800.009.5555

 

Ativo imobilizado: qual o melhor tipo de plaqueta para controlar o seu patrimônio?

Ativo imobilizado: qual o melhor tipo de plaqueta para controlar o seu patrimônio?

Hoje vamos esclarecer uma das dúvidas recorrentes que recebemos de diversas empresas que procuram a nossa equipe de consultoria patrimonial. Vamos falar sobre dois tipos de plaqueta de identificação de bens para controle de ativos imobilizados. E qual o melhor tipo para cada tipo de necessidade.

Se esta também é a sua dúvida, acompanhe o post de hoje e esperamos poder ajudá-lo a definir qual o tipo de plaqueta mais adequado para identificar e controlar os bens da sua empresa.

Boa leitura!

Qual a melhor plaqueta para controlar o Ativo Imobilizado: Código de Barras ou QR Code?

Temos publicado aqui no blog diversos posts que tratam sobre o tema, principalmente com a abordagem mais ampla em relação às plaquetas de patrimônio com a tecnologia R.F.I.D., mas hoje vamos falar sobre dois outros tipos de plaqueta de identificação de ativos imobilizados que também são muito procurado atualmente: a plaqueta com a tecnologia QR Code e a plaqueta com código de barras.

Plaquetas com tecnologia QR Code

Antes de abordamos a utilização do QR Code na prática, vamos definir o que é QR Code.

O QR Code é um código de barras bidimensional que pode ser escaneado facilmente por meio leitores hoje disponíveis em diversos tipos de câmeras e nos smartphones.

O QR Code tem seu nome originário do inglês QR (Quick Response) + code. Que em português se traduz como código de resposta rápida.

Muitas informações podem ser inseridas dentro de um QR Code, tais como: textos (interativos),  endereços de URI e URL,  números de telefone, mapas com localização georreferenciada,  emails,  contatos, SMS entre outros.

Quando surgiram no mercado, os QR Code eram utilizados basicamente para catalogar peças na produção de veículos, mas com o passar do tempo foram agregando outras aplicações, sendo utilizados em impressões gráficas (em revistas por exemplo),  em embalagens de produtos, em cartões de visitas e em  materiais promocionais. Atualmente o QR Code também é muito utilizado no gerenciamento de inventários e controle de  estoques em indústrias e comércio.

A popularidade dos QR Code se deu pelo fácil acesso aos usuários, tanto em criá-los quanto na sua leitura, visto que desde 2003 foram desenvolvidas inúmeras aplicações para ajudar os usuários a inserirem dados a partir de câmeras e telefones celulares. Programas de captura ou PCs com interface RS-232C podem usar um escâner para capturar as imagens. De acordo com o Wikipedia,  o padrão japonês para o código QR, JIS X 0510, foi lançado em janeiro de 1999 e corresponde ao padrão internacional ISO/IEC 18004, tendo sido aprovado em junho de 2000. Segundo o site da Denso-Wave, o “código QR é aberto para uso e sua patente, pela Denso-Wave, não é praticada”.

Como o QR Code pode ser utilizado para controle do Patrimônio?

Normalmente os QR Codes são utilizados para Marketing empresarial ou pessoal, porém os códigos QR podem conter várias informações diferentes, sendo elas por exemplo cartões pessoais, contendo seu nome, contato, e empresa onde trabalha. Ou também website, onde a pessoa fazendo a leitura com um smartphone o código levaria a pessoa diretamente a sua página online, porém, não precisam ficar limitados a esta utilização, as empresas podem adicionar informações sobre o equipamento em QR Code, por exemplo:

  • A data de instalação
  • A data da última revisão
  • Área ou pessoa responsável pelo equipamento
  • Informações sobre sua utilização
  • Data da próxima revisão, entre outras tantas informações

São exemplos de informações que podem constar junto ao equipamento, como se fosse uma plaqueta de TAG ou código de TAG, porém muito mais completa e disponível sem precisar estar com uma base de dados on line.

Plaquetas com Código de Barras (barcode)

As plaquetas com código de barras são as mais populares nas empresas quanto à identificação de bens no controle patrimonial. Elas são representações gráficas de dados numéricos e alfanuméricos, cuja a decodificação ou seja a leitura, é realizada por meio de um scanner específico. A leitura das informações é feita quanto o raio vermelho emitido pelo scanner percorre todas as barras do código.

Basicamente o código é composto por barras escuras separadas por espaços em branco, quando o leitor passa pelas barras escuras a luz é absorvida e quando passa pelos espaços claros a luz é refletida ao leitor. Dessa forma, com a composição dessa leitura o scanner captura e decodifica os dados que são compreendidos pelo computador. Nessa conversão, os dados são convertidos em letras e números, que podem por exemplo, trazer informações sobre um produto ou um bem patrimonial.

Os códigos de barras estão presentes em quase todos os produtos de consumidos no nosso dia a dia. Sua utilização é muito comum em diversas áreas da indústria, comércio e serviços.

Código de Barras para produtos – Os códigos de barras EAN-13 servem como identificação de seu produto no sistema de Ponto de Vendas dos lojistas. Qualquer produto, como por exemplo produtos alimentícios, CDs e DVDs, produtos naturais, verduras e legumes, roupas e vestuários, sapatos, entre outros utilizam códigos de barras EAN-13. As únicas exceções são livros (veja código ISBN) e medicamentos controlados. Também conhecido como GTIN-13, esse código de barras é usado no mundo todo, exceto EUA e Canadá.

Qual o melhor para controle de patrimônio ou controle de manutenção? QR Code ou Código de Barras?

Essa questão passa muito além das diferenças gráficas entre um e outro modelo, pois as estruturas são bem diferentes.

O código de Barras é elaborado de faixas pretas e brancas (listas), grosas e finas e coletado por feixe de luz. Já o QR Code tem codificação através de uma quadriculada e é coletado pela câmera de um dispositivo móvel.

Para fins de controle de Patrimônio a plaqueta de código de barras é a mais usual, por estar em uso há mais de 20 anos, tecnologia conhecida e amplamente difundida.

Já o QR Code tem característica e funcionalidade que se aplicam melhor ao controle de Manutenção dos equipamentos. Informações fundamentais e complementares ao código de barras.

No parágrafo acima apresentamos as qualidades e virtudes de cada uma do sistemas de identificação (QR Code e Código de barras), essa virtudes não são excludentes, ou seja, ambas plaquetas de identificação podem ser complementares, da seguinte forma:

O QR Code pode ser utilizado para o “controle de Manutenção” dos equipamentos e conter informações específicas sobre o equipamento, voltadas a esta necessidade de controle de prazos, peças, etc… para a devida prática da manutenção dos bens da empresa.

Já o Código de Barras mantém sua funcionalidade habitual para a identificação dos bens do Ativo Imobilizado. Ambas soluções, somadas, se complementam e resultam na melhor prática para controle dos equipamentos da uma empresa, une a necessidade do controle de manutenção ao controle contábil e físico dos bens do Patrimônio. Para sua implementação a Global Consult oferece o serviço de inventário físico dos bens com a fixação de plaquetas de código de barras e também as plaquetas de identificação QR Code, simultaneamente.

Esperamos poder tê-lo ajudado a escolher o melhor tipo de plaqueta de identificação patrimonial para sua empresa, mas caso tenha qualquer questão, entre em contato conosco para que possamos esclarecer suas dúvidas.

No próximo post vamos aprofundar mais o assunto, falando sobre as funcionalidades da plaqueta de QR Code para controle de Manutenção e para inventários de Imobilizado e/ou Estoques.

Quer saber mais sobre este e outros assuntos relacionados ao Inventário Patrimonial? Entre em contato com a nossa aquipe pelo telefone 0800- 009.5555 ou pelo nosso formulário de contato.

Share This