Como realizar o saneamento dos bens patrimoniais com etiquetas de radiofrequência  – RFID

Nos nossos dois últimos posts tratamos sobre inventário com RFID. Falamos sobre como otimizar o controle patrimonial com etiquetas de radiofrequência  e como implantar a tecnologia RFID para controle do Ativo Imobilizado.

No texto de hoje falaremos sobre como realizar o serviço de saneamento dos bens do patrimônio nos inventários patrimoniais com RFID.

Boa leitura!

A realização do saneamento dos bens patrimoniais, nesse caso, acontece em duas etapas:

Etapa I – Manutenção da Base de Dados

Nesta etapa a Global Consultoria fornecerá equipe técnica especializada para executar, sob a supervisão técnica do CLIENTE, as seguintes atividades:

  1. Cadastramento e atualização de informações referentes a situação contábil e definição das características gerais de cada item de patrimônio do CLIENTE, padronizando nomenclaturas e a descrição dos campos.
  2. Revisão completa das informações migradas para a base de dados relacionada aos bens de patrimônio do CLIENTE.
  3. Criação de planilha eletrônica com dados para cadastramento extraídos de documentos existente, caso necessário.
  4. Revisão da classificação contábil dos bens materiais e patrimoniais em conformidade com a legislação pertinente.

Etapa II – Realização e Consolidação da Localização e Inventário de Bens

Nesta etapa a Global Consultoria fornecerá equipe técnica especializada para realizar, sob a supervisão técnica do CLIENTE, as seguintes atividades:

  1. Localizar e inventariar cada um dos bens de patrimônio, utilizando o mesmo software aplicativo e tipo de coletores de dados da solução fornecida ao DO CLIENTE.
  2. Afixar as Tags passivas de acordo com o tipo de bem.
  3. Realizar a identificação do bem, a partir da leitura do microchip de RFID, do código de barras e/ou da digitação do número de patrimônio, com opção para o registro de fotos do bem localizado.
  4. Definir a situação de cada um dos bens localizados e não localizados fisicamente.
  5. Confrontar os dados levantados em campo, com os registrados no atual sistema de controle. Se necessário, atualizar: a descrição do material, o estado de conservação, a marca, modelo e série (quando houver), a localização e o responsável pelo bem.
  6. Emitir relatório que apresente dados dos bens de patrimônio existentes na base de dados e não localizados fisicamente nas unidades detentoras da carga.
  7. Emitir os Termos de Responsabilidade para conferência e assinatura.
  8. No decorrer do levantamento emitir os respectivos laudos de conferência dos registros dos bens móveis de cada unidade administrativa responsável.

Treinamento dos usuários

A Global Consultoria efetua um curso de Treinamento e Capacitação de servidores da Contratante, visando o domínio:

  1. a) Das opções de operação da solução fornecida, e
  2. b) Dos procedimentos requeridos, para que a Global Consultoria mantenha o atendimento contínuo das solicitações da Contratante.

Ao término do treinamento, os colaboradores designados deverão ser avaliados quanto a aptidão para uso da solução, dos dispositivos de RFID, sendo devidamente certificados pela Global Consultoria.

A capacitação prevista deverá ser feita pela Global Consultoria de acordo com o conteúdo necessário ao pleno domínio da solução, devendo treinar:

  1. Pessoal da área Técnica – Relativo à manutenção das bases de dados, da integração e de todos os requisitos para sua funcionalidade;
  2. Administradores dos sistemas – Treinar usuários técnicos que irão estabelecer as permissões de acesso à solução;
  3. Usuários do sistema – Treinar os usuários (Consultores, Gestores e Técnicos de Patrimônio) os quais irão “Inserir”, “Alterar” ou “Apagar”, “Pesquisar” e “Extrair Relatórios”, utilizando os aplicativos da solução. Estes usuários se encarregarão de replicar o treinamento aos novos usuários;

O treinamento obedecerá ao estabelecido neste item, e deverá preparar facilitadores da Contratante e material didático da Global Consultoria, devendo ser executado nas dependências da Contratante. Os custos com os treinadores correrão por parte da Global Consultoria, inclusive os custos com deslocamento e hospedagem.

Homologação e início de produção da solução

A Homologação dos softwares aplicativos que fazem parte da solução e consequente início de produção ocorrerá quando o Contratante:

  1. Concluir os testes, conferindo o desempenho da solução e a conformidade das funcionalidades.
  2. Homologar as funcionalidades.
  3. Aferir os conteúdos da Migração.
  4. Autorizar o início da utilização dos aplicativos em ambiente de produção.

Detalhamento do hardware para o controle de imobilizado por meio da tecnologia de RFID

 Estimativa de valor de etiqueta de R.F.I.D

 

 Tags RFID UHF passivos do tipo “metal” (com espaçador)

ItemDescriçãoPágina
 Frequência de operação de 902 a 928 MHz. 
 Protocolo de comunicação EPC Class1 Geração 2. 
 Dimensão aproximada (Largura x Comprimento x Espessura) de 60mm X 14mm X 11,7mm, com impressão de código de barras (tabela fornecida pelo cliente) e logotipo do cliente. 
 Distância mínima de Leitura 3 a 7 metros (dependendo da potência do leitor). 
 Temperatura mínima de operação de –-40° a +85°C 
 Fixação por  abraçadeira ou cola própria 
 Chip EPC memória de 96-bit 
 Classificação IP IP68 ou IP67 (IEC650529) (proteção contra poeira e água) 

 Tags RFID UHF passivos para móveis e utensílios do tipo “não metal” (não necessita de espaçador)

ItemDescriçãoPágina
 Frequência de operação de 902 a 928 MHz. 
 Protocolo de comunicação EPC Class1 Geração 2. 
 Dimensão aproximada (Largura x Comprimento) de 93mm X 11mm, com impressão de código de barras (tabela fornecida pelo cliente) e logotipo do cliente, 
 Temperatura mínima de operação de -35°C a +85°C. 
 Fixação por adesivo ou cola especial 
 Chip EPC memória de 96-bit 
 Distância mínima de Leitura 3 a 7 metros (dependendo da potência do leitor). 
 Possuir adesivo na parte traseira para fixação de forma eficiente sob superfícies de plásticos, vidro, laminados e tintas. 
 Permitir a fixação ou impressão de identificação visual do TRT em sua superfície. 

  Conclusão

Em nossos últimos textos falamos sobre a tecnologia de R.F.I.D para controle do Ativo Imobilizado, que embora demande inicialmente um investimento significativo, pode ser implantado de maneira gradual,  sendo realizada em etapas com fases distintas e em períodos (exercícios) parcelados. Com isso, os custos são diluídos para vários exercícios até se obter a solução completa.

Por Gilberto Oliveira – Diretor Comercial da Global Consultoria

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Share This